Prefeitura paga pessoal que trabalhou no Bumbódromo no período do Festival Folclórico

Serão mais de R$ 76 mil injetados na economia local.

Prefeitura paga pessoal que trabalhou no Bumbódromo no período do Festival Folclórico Foto: Aroldo Bruce Notícia do dia 14/07/2017

As pessoas contratadas pela Prefeitura de Parintins para trabalhar nas três noites do Festival Folclórico 2017, no Bumbódromo, foram pagas nesta sexta-feira, 14 de julho, no Centro do Idoso Pastor Lessa, no bairro Itaúna II.
248 pessoas entre coordenadores e recepcionistas receberam o pagamento num valor de R$ 76.400,00. O pagamento foi efetuado pela equipe organizadora do Festival Folclórico, Harald Dinely, Karla Vila e a secretária Zeila Cardoso da Semasth.


O prefeito em exercício Tony Medeiros esteve no Centro do Idoso. Medeiros destacou a importância do Festival Folclórico de Parintins e a geração de emprego e renda através da Prefeitura para a população. “Vocês são importantes neste processo e quem estiver preparado vai ter oportunidade de trabalho”, declarou.


Medeiros lembrou ainda que a Prefeitura teve dificuldades em contratar seguranças na formação para grandes eventos, para trabalho no Bumbódromo e as vagas foram preenchidas por pessoas de fora. Para solucionar o problema, ele afirmou que a Prefeitura vai trazer o curso para Parintins para formar 100 profissionais já visando o Festival Folclórico de 2018.

A secretária, Zeila Cardoso, lembrou que este ano foi criado, na Semasth, o banco de currículos para facilitar a escolha do profissional correspondente a área de formação. “A Semasth recebe esse currículo e seleciona e conforme a necessidade o profissional é chamado dentro de um trabalho sério coordenado pela secretária Michele Valadares.

Karla Viana, integrante da equipe de organização do Festival Folclórico de Parintins 2017, informou que a partir da próxima semana a Prefeitura vai pagar pessoas as pessoas que trabalharam em outros setores. “Nós vamos entrar em contato com essas pessoas e decidir o local e hora do pagamento”, disse.